quinta-feira, 27 de junho de 2013

A maior exposição de Arte Nouveau & Déco na Barra da Tijuca- Rio de Janeiro- ET VOILÁ BARRÁ ;-)



AGENDA



QUE LUXO, QUE BOM PARA O RIO!


DICA  

Atenção uma ótima noticia. O EVENTO FOI PRORROGADO ATÉ O DIA 17 de novembro de 2013.  





Curador e Promotor do evento: Márcio Alves Roiter e Dr. Carlos F. de Carvalho 


"Estilos de Sedução" 
considerada a maior exposição dos estilos Art Nouveau e Art Déco já realizada no país 
 vai até dia 17 de novembro, no Espaço Cultural Península. 








Hoje, dia 16 de agosto de 2013, o curador Márcio Alves Roiters que também é presidente do Instituto Art Déco Brasil, está recebendo, membros do ICOM- Conselho Internacional de Museus (http://icom.museum/)  que vieram ao Brasil pela primeira vez e exclusivamente para uma visita guiada à exposição. São eles: Juliette Singer - comissária científica dos museus de Paris- que engloba quatorze museus- dentre eles o Petit Palais, Grand Palais e Carnavalet; Maria Izabel Branco Ribeiro - do Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Alvares Penteado; Cidô Brecheret - Presidente do Instituto Victor Brecheret de São Paulo e Mariana Mancini -Fundacion Mellan de Arte y Cultura Latinoamericana, de Cordoba



Esse é o crème de la crème do assunto no mundo. Isso é bom para o Rio de Janeiro, isso é bom para o Brasil. Bienvenus ! 









Exposição

ART NOUVEAU E ART DÉCO: ESTILOS DE SEDUÇÃO

Espaço Cultural Península 


A iluminação primorosa é de Ronald Cavaliere.







O então novo estilo de arte teve forte influência da cultura japonesa 





Baseada na Exposição Internacional das Artes Decorativas e Industriais Modernas, realizada em Paris, em 1925, onde mais de 15 milhões de pessoas consagraram o estilo de arte moderna, o Rio de Janeiro, cidade que abriga o maior monumento Arte Déco do mundo, o Cristo Redentor, além da tradicional Confeitaria Colombo exemplo da Belle Époque, inaugura a  Art Nouveau e Art Déco: Estilos de Sedução. 


O evento conta com mostra de objetos, móveis,projeções e até filmes – como o Art Nouveau, em 1900, e o Art Déco, em 1925 que marcam a definição do “Estilo Moderno”. É para você sair de lá quase um expert também ;-) 



Para se situar 


Este estilo nasceu na França, no século XX- em plena Revolução Industrial. A população clamava por uma arte moderna e para todos, cuja palavra de ordem era joie de vivre (prazer de viver). A tal arte moderna foi replicada e pode ser identificada na arquitetura das grandes metrópoles como exemplo o metrô de Paris, de  Hector Guimard, e os arranha-céus Art Déco de Manhattan, como o Empire State e o Rockefeller Center.
 
Por aqui, a Arte Nouveau e Arte Déco devem ser preservadas. O  Governo Federal recentemente tombou um dos ícones Art Déco do Rio de Janeiro, o Edifício A Noite. A iniciativa privada  dará também a sua contribuição e quer adotar o conjunto de prédios no Bairro da Glória - os antigos edifícios Londrina, Miritiba e Paranaguá.




Vamos então aos principais ambientes da Exposição:






Art Nouveau- exibindo uma grande coleção de vasos e luminárias Gallé,  um armário-vitrine com mais de 3 metros de altura da extinta “A Torre Eiffel”, assinado por Antonio Borsoi, (mesmo designer da Confeitaria Colombo) ;

Art Déco- apresentará a maior coleção de esculturas em bronze e marfim até hoje vista no Rio, assinadas por mestres como Chiparus, Preiss e Colinet, entre muitos outros;

Streamline” (Aerodinâmica)- apresenta a arquitetura vanguardista, desta época, expostas em prédios emblemáticos do Rio de Janeiro- edifícios Embaixador, na Av. Atlântica, e Ipú, rua do Russel. Lá estará a inédita memorabilia do “paquebot” Normandie, o mais luxuoso navio da época, e que em 1938 e 1939 veio ao Rio em cruzeiros de Carnaval, saindo da sua clássica rota do Atlântico Norte;





Art Déco “Nativista”-  tendo como porta-bandeira a Semana de Arte Moderna de 1922 em São Paulo. “Tupy or not Tupy”, lema de Oswald de Andrade estarão 40 pranchas em aquarela, guache e nanquim do franco-alemão August Herborth, egressas dos álbuns “Guarany”, criados entre 1920 e 1930, a partir de desenhos indígenas, e procedentes da Coleção Berardo, de Lisboa.


O Brasil Nativista


"Poucos países no mundo tiveram um Art
Déco nacional. O Brasil teve. Influenciados,
sobretudo pela cultura marajoara, nossos
criadores – e muitos estrangeiros que
nos visitaram, como o alemão Herborth –
ouviram o chamado da selva, das origens
pré-cabralinas, e criaram, em sintonia com o
Art Déco mundial, um estilo comprometido
com a Semana de Arte Moderna de 1922,
e os manifestos Pau-Brasil e Antropofágico
de Oswald de Andrade. “Sou um tupi
tangendo um alaúde”, diria Mário de


Andrade, autor de Macunaíma"
(Instituto Arte Déco Brasil) .


Repare na luxuosa iluminação de Ronald Cavalieri





Espaço Cultural Península – 21 de Junho a 17 de novembro 2013. 

Av. dos Flamboyants, 500. Barra da Tijuca. 
Tel: (21) 3151-3691. 

De 5ª a sex. das 14h às 21h, sáb das 10h às 21h, e dom. das 10h às 19h

Entrada gratuita. Estacionamento no local.