quarta-feira, 29 de maio de 2013

Concurso Ibero-americano de cultura digital, com inscrições abertas


20-22 de novembro de 2013




De 20 a 22 de novembro, ocorrerá em Zaragoza, na Espanha, o Concurso Ibero-americano “Empreende com cultura”, que visa a premiar os projetos digitais relacionados com o setor cultural que se destaquem pela inovação, qualidade e potencial no âmbito ibero-americano. Interessados/as em apresentar suas iniciativas no V Congresso Ibero-americano da Cultura podem consultar a formas de participação e se candidatar até o dia 15 de junho.




El Concurso Iberoamericano “Emprende con cultura” busca premiar aquellos proyectos digitales relacionados con el sector cultural que destaquen por su innovación, calidad y potencial dentro del ámbito iberoamericano.
Si eres nacional de uno de los 22 países de la Comunidad de Naciones Iberoamericanas [1] y quieres presentar tu iniciativa en el V Congreso Iberoamericano de Cultura, no dudes en consultar nuestras bases de participación. 

Plazo de presentaciónDel 1 de abril al 15 de junio de 2013 (ambos inclusive).



segunda-feira, 27 de maio de 2013

Lançamento- Mídia e Politica na América Latina- o livro analisa a mídia pública e o Estado. Como a informação veiculada na mídia privada difere da mídia pública.

DICA de LANÇAMENTO DE LIVRO NO BRASIL 
Mídia e Política na América Latina-Editora Civilização Brasileira.



Jornalista e autora Carolina Matos, parceria da Rede Latitudes
























Versão Inglesa




Media and politics in Latin America: globalization, democracy and identity (IB Tauris, 2012)


ORELHA DO LIVRO



A queda dos regimes ditatoriais na América Latina, trouxe, a reboque, uma nova forma de gerir, dissecar e consumir a informação. Com status de democracia, a manchete jornalistica, ultrapassa o seu papel de noticiar para abraçar a possibilidade de ancorar o desenvolvimento social de uma nação. Cada vez mais importantes no esquema geopolítico mundial, os conglomerados midiáticos que controlam televisão e rádio no continente exercem forte influência política. 

Carolina Matos avalia o papel da mídia pública nos países europeus tomando como exemplo o bem- sucedido modelo da BBC. A partir da estatal inglesa  ela contrasta a função das TVs e rádios operadas pelo governo no Brasil e nos países latino americanos, fazendo uma análise histórica, aquecendo o debate sobre globalização e repensando teorias sobre o imperialismo cultural.  Aborda, ainda, a relação sobre mídia pública e o Estado, e como a informação veiculada na mídia privada difere da mídia pública. 

Examina o desempenho da mídia pública no processo democrático e no diálogo internacional entre as Américas, apontando seu poderoso potencial para a inclusão social. Fala, também, sobre o futuro e os dilemas da digitalização do sinal e sobre o crescimento da Internet como meio de propagação da notícia e sua característica como propagadora de conhecimento. 

Essencial, esse livro  é uma análise atual das transformações políticas e sociais no universo latino-americano.   





POR CAROLINA



A primeira parte (Parte I) constrói uma narrativa histórica acerca do desenvolvimento das formas de comunicação pública no Brasil e em outros países-chave da América Latina. A Parte II examina a relação entre a mídia pública e o interesse público, e como esta tradição tem se desenvolvido nos sistemas europeus públicos de radiodifusão, fora o impacto que os mesmos tiveram na democracia e na vida diária em países como a Grã-Bretanha.
O primeiro capítulo da Parte III examina as principais teorias sobre a televisão e os estudos de audiência, incluindo a discussão das mudanças na natureza do meio TV – e da sua relação com a esfera pública e com as audiências, e como estas interpretam as mensagens, além de dsicussões sobre a globalização. O segundo capítulo da Parte III sonda ainda os debates sobre a relação da televisão com a cultura popular na América Latina e no Brasil. O principal argumento intelectual investigado na Parte IV consiste na avaliação dos debates em torno do potencial da Internet de ser um veículo que poderá ou não servir ao interesse público, e a determinados grupos políticos, movimentos e causas.
O último capítulo também avalia as perspectivas futuras para a mídia brasileira, assinalando alguns dos atuais desafios enfrentados pelos sistemas de comunicação, incluindo a adoção de um novo modelo de televisão digital, o crescimento do mercado de jornais e de veículos de mídia segmentados e a persistência de vários obstáculos ao desenvolvimento de uma mídia pública realmente independente e pública.




Carolina Matos é docente no Government Department da Essex University. Ex-Professora de Comunicação Política na London School of Economics and Political Science (LSE). Ph.D. em Mídia e Comunicação da Goldsmiths College. Tem vinte anos de experiência como jornalista, trabalhando para a Reuters, Unesco,Folha de São Paulo, entre outros. 
Contato: cmatos@essex.ac.uk