quarta-feira, 18 de maio de 2016

acervo online da Literatura de Língua Portuguesa







Desde o dia 10 de maio de 2016 que a inédita iniciativa de unir acervos de Bibliotecas Brasileiras e Portuguesas está online, e  disponíveis. Cerca de  2 milhões de documentos podem ser acessado pelo portal http://bdlb.bn.br/acervo/handle/123456789/17.





Dentre as raridades,  a primeira edição de Os Lusíadas, de Luís de Camões, de 1572, e a Carta de Abertura dos Portos, de 1808, assinada pelo príncipe regente, Dom João de Bragança, quatro dias após a chegada da família real à Salvador. 







Essa iniciativa foi inspirada no portal Europeana- Biblioteca Digital Européia-  http://www.europeana.eu/portal/

terça-feira, 17 de maio de 2016

Aromas da Provence



Coluna Livro na Panela 

















Karla Milward 




Karla Milward é cozinheira chefe internacional formada pelo SENAC/CIA de Águas de São Pedro  SP.  Karla comanda a coluna Livro na Panela-  onde dá dicas de gastronomia inspiradas em obras literárias.  










Foi uma refeição da qual jamais nos esqueceremos. Começou com pizza feita em casa. Não uma, mas três: de anchovas, de cogumelos e de queijo. (…) Eram patês de coelho, de javali e de tordo. Uma terrine com pedaços de carne de porco e marc. Saucissons com pimenta em grãos. Cebolas diminutas marinadas num molho de tomates frescos. (…) e trouxeram o pato. As fatias de magret que aparecem arrumadas em forma de leque, parcialmente encobertas por uma elegante porção de molho nas mesas requintadas da nouvelle cuisine – não havia nada disso à vista. Ali havia peitos inteiros, coxas inteiras, cobertos de um molho escuro, bem temperado, e cercados de cogumelos silvestres. (…) e uma enorme e fumegante assadeira foi colocada sobre a mesa. Essa era a especialidade de Madame, nossa anfitriã: um ensopado de coelho, do tom de marrom mais rico e mais profundo.”
(Um Ano na Provence- Peter Mayle)






Livro 

Inspiração- Um Ano na Provence - Peter Mayle

Editora: Sextante 






Peter Mayle na Provence- foto:  The Guardian 
 Ler os livros do Peter Mayle é assim, um delicioso passeio por pratos e lugares da Provence. Dá vontade de pegar o primeiro avião com destino à felicidade. E a felicidade  é a região e a sua cultura gastronômica. Dá vontade de ver, fazer, comer, se lambuzar de prazer. Vale a pena ler todos os  livros deste jornalista inglês que sai das cores gris da Inglaterra para se afogar na orgia de cores, aromas e sabores da Provence


Lapin à la moutarde








Marinada:
  1 cebola em fatias
  1 dente de alho picado grosseiramente
  1 xícara chá de vinho branco seco
  ½ xícara café de azeite
  sal pimenta
Bata tudo no liquidificador e junte ao coelho em uma tigela tampada ou com papel filme e deixe na geladeira até o dia seguinte.
  1 coelho de 1 ½  k
  1 cebola grande em cubinhos
  1 cenoura em ½ lua
  2 xícara de vinho branco seco 
  5 colheres de sopa de mostarda Dijon (de preferência à l'ancienne, aquela com sementes inteiras)
  300 g creme de leite fresco
  200 g Champignons laminados
  ½ xícara café de azeite
  4 colheres sopa de manteiga
  sal, pimenta do reino
  bouquet garni ( louro, tomilho, talos de salsa, alecrim)
  salsinha picadinha para finalizar



Modo de fazer:Tire o coelho da marinada, reservando-a. 
Coloque o azeite e 2 colheres de manteiga em uma panela de fundo grosso, deixe aquecer sem queimar e junte os pedaços de coelho aos poucos, se necessário, para selarem dos dois lados. 
Retire-os e reserve. 
Na mesma panela, coloque o restante da manteiga, deixe derreter, acrescente a cebola, o alho e a cenoura. 

Quando a cebola estiver bem douradinha, coloque a mostarda, mexa e volte com o coelho para a panela. 
Verta a marinada, mexa bem para deglaçar o fundo, prove o tempero, junte o bouquet garni e tampe.  

Deixe em fogo baixo até o coelho ficar macio (1 – 1 ½ h ). 
De vez em quando, destampe a panela, dê uma mexida e se precisar acrescente um pouco de água quente ou caldo de legumes ou frango, se preferir. 

Estando o coelho macio, coloque o creme de leite e o champignon e deixe por mais uns 10/15 m até o creme incorporar e encorpar, desligue o fogo, salpique a salsa e sirva com batatas sauteés e um bom purê de maçã.


segunda-feira, 16 de maio de 2016

Tasila do Amaral no MoMA





Depois de Ligya Clark chegou a vez do Museu de Arte Moderna de Nova York  receber a as obras da  pintora modernista brasileira Tarsila do Amaral, que  ganhará a sua primeira mega exposição no MoMA. Entre outubro de 2017 e fevereiro de 2018, cerca de 100 obras da artista passarão também pelo  Art Institute of Chicago.



Abaporu que fará parte da exposição - é uma pintura a óleo. Hoje é a tela brasileira mais valorizada no mundo, tendo alcançado o valor de US$ 2,5 milhões, pago pelo colecionador argentino Eduardo Costantin em 1995.  A obra  faz parte do acervo permanente do  Museu de arte latino-americana de Buenos Aires.