sábado, 4 de novembro de 2017

Egito e Pompeia

Circulando pelo centro da cidade do Rio de Janeiro resolvi ver a exposição Egito e Pompeia, acervo pessoal de Dom Pedro II, cuja coleção ele dedicou à sua mulher D. Thereza Christina Maria.



O reconhecimento internacional do valor cultural desta coleção foi obtido através de sua inscrição no Registro Internacional da Memória do Mundo da UNESCO, em 2003. Assim, esta coleção tornou-se o primeiro conjunto documental brasileiro a integrar este programa da UNESCO.
A mostra da Biblioteca Nacional, com 119 imagens, que tem curadoria de Joaquim Marçal, levará ao público originais fotográficos que ficaram guardados, sem qualquer manuseio ou exposição à luz, por aproximadamente um século.
(Fonte Biblioteca Nacional).

Para quem gosta de fotografia é uma aula de como essa arte foi desenvolvida. Para quem gosta de história também. para quem gosta de refletir sobre polêmicas, mais ainda. Há uma série de fotos de falos  expostas nas fotos que registram como simbolos de sorte, e que datam que nos idos tempos egípcios eram expressas nas paredes de prostibulos. Até você Dom Pedro II pode ser posto à prova diante das atuais polêmicas sobre arte e deformação. 

Para quem quiser ver a exposição, segue o link: