sexta-feira, 26 de maio de 2017

Soundpainting Rio

Sexta-feira é dia de música

SOUNDPAINTING



Ao realizar um concerto em Nova Iorque, em 1974, o maestro e compositor Walter Thompson sentiu a necessidade de se comunicar com os seus músicos e através de sinais simples, apontado para cada um, obter o que queria. 

A parti de então, o regente foi desenvolvendo e aprimorando os seus códigos em sinais e em dois anos criou o projeto poeticamente chamado de Soundpainting, ou "pintando o som". 




Através de sinais, que são divididos em duas categorias- uma para denominar que material usar e a outra que som/ efeito emitir, ele rege uma multidisciplinar orquestra (músicos, bailarinos, poetas, artistas plásticos e platéia) compondo ao vivo para preencher imagens de filmes exibidos in loco. 
Isso, de alguma forma lembra o inicio do cinema, quando os filmes sem áudio, cinema mudo, eram acompanhados por música ambiente, executada por orquestras que ficavam nas coxias, ou por pianistas  e instrumentistas para dar a sonorização a projeção. 





Abaixo a explicação do pai da bagunça:






SOUNDPAINTING RIO





Agora com cerca de 1 200  sinais que já estão decifrados por vários artistas de distintas expressões, o Soundpainting vem se espalhando e no Rio de Janeiro quem levanta a batuta é o nosso amigo Taiyo Jean Omura e sua Soudpainting Rio que vem fazendo concertos na capital fluminense e na antiga capital também, em Niterói. 



Taiyo em ação


Ontem, dia 25 de maio de 2017, no Cine Arte UFF, Taiyo selecionou o filme " As Aventuras do Príncipe Achmed", animação de 1926 dirigida por Lotte Reiniger para sonorizar ao vivo com sua orquestra. Em uma hora de bilheteria aberta os ingressos, que eram gratuitos, esgotaram. 
Taiyo é o de branco, claro




MAIS SOUNDPAINTING








MAIS INFORMAÇÕES:



quinta-feira, 25 de maio de 2017

Da Receita da Rainha a entrada"Oeufs Drumkilbo".


Coluna Livro na Panela das quintas-feiras.



Dando prosseguimento ao especial receitas do livro "A Royal Cookbook- Seasonal recipes from Buckingham Palace", que introduzimos na quinta-feira passada. 

Conforme o combinado com vocês, vamos expor aqui algumas receitas retiradas dos Menus Sazonais, que o livro oferece. Cada parte do livro oferece um Menu completo para cada estação do ano. 

Nossa expert em cozinha Karla Milward vai nos apoiar orientando como fazer e adaptar à nossa realidade. 


"Primavera, e a despensa é preenchida com produtos frescos e iguarias sazonais. Um dos pratos característicos e favoritos da rainha mãe está neste Menu, juntamente com o fino cordeiro primavera grelhado e com molho light. Um delicioso sorvete proporciona um final espetacular para a refeição."





Hoje apresentamos a entrada "Oeufs Drumkilbo", que segundo o livro, o nome originado na antiga propriedade de Drumkilbo em  Highland/ Perthshire (Escócia), onde o prato supostamente foi criado. Para eles é um maravilhoso mix do decadente com o todo dia . 


Salão de Drumkilbo (Escócia) 


Sede de Drumkilbo

"Oeufs Drumkilbo"

Cotelettes d`Agneau de Windsor- 

Sobert aux Cassis" 



OVOS DRUMKILBO                         

Ingredientes:


- 3 ovos cozido
75 g de camarão limpo e descascado
-  3 tomates italianos sem pele, sem sementes e        picado em dados
-   2,5 k de lagosta escocesa
·     - 100 ml de caldo claro de peixe
-     - 3 folhas de gelatina
·     -  100 g maionese
·     -  25 ml ketchup
·     - 10 g de folhas de salsa branqueadas e picadas
·    -  Gotas de molho inglês e essência de anchova 
·    -  Cebolinha picada
·    -  Sal e pimenta
·    -  Cerefólio para finalizar



Modo de fazer

Coloque as folhas de gelatina em uma vasilha com água gelada para amolecer.

Corte 4 fatias de ovos e enfeite-os com 1 camarão, um losango pequeno de tomate e um pedacinho de cerefólio e reserve para a decoração.

Corte a lagosta e os camarões em pedaços de 0,5 cm, disponha-os num bowl, pique e adicione o restante dos ovos e o tomate picado.

Leve o caldo de peixe a esquentar sem que ferva, esprema as folhas de gelatina e deixa-as no caldo até que se dissolvam totalmente, remova a panela do fogo.

À parte, misture a maionese, o ketchup, o molho inglês, a essência de anchova e 1/3 do caldo de peixe com gelatina.
Misture, gentilmente, o molho de maionese, à carne. 

Tempere e agregue as ervas.

Arrume a mistura ao utensílio que for usar para servir, nivelando bem por cima.

Leve à geladeira por 1 h, decore com o restante do caldo com gelatina e antes de servir, decore com as fatias de ovos reservadas.

Bem, essa é a receita original do livro. Como não estamos no Palácio de Buckingham, nem somos tão nobres, eu faria algumas modificações para que ficasse mais acessível à nossa realidade. 

Vamos convir que 2,5 k de lagosta para um cocktail de entrada é algo impensado para pobres mortais, né? Mas quem sabe 200 g de lagosta, lagostim ou até mesmo cavaquinhas no seu lugar? E aumentamos um pouco do camarão, 200 g, penso que seria razoável. Ah, na receita não está explicito, mas tanto a lagosta como o camarão, deverão estar cozidos e esse court-bouillon* onde cozinhou os crustáceos, poderá ser o caldo de peixe utilizado na nossa receita.

Eu não tiraria a pele do tomate, como vai ser usado cru, não vejo necessidade de despelá-lo. Tiraria o cerefólio que é mais difícil de achar e trocaria por dill, que acho perfeito com camarão e lagosta. 

Junto à maionese, colocaria 100 g de creme de leite, de caixinha mesmo. E quanto à essência de anchova, é difícil de achar mas, você pode colocar um pouquinho de anchova esmagada. Sem querer ser chata, anchovas importadas, por favor, porque as nacionais, não existem.

E é isso. Semana que vem continuamos com o cardápio, com “Cotelettes d’Agneau de Windsor” como prato principal e depois “Sorbet au Cassis” como sobremesa.

*Court Bouillon: Líquido feito com vegetais, ervas aromáticas, especiarias, um elemento ácido – suco de frutas ácidas, vinagre de vinho branco, vinho branco e etc. – e água. O tempo de cocção é de 30 a 40 minutos, fogo lento – simmer (85°C).




Karla Milward
karlamilward@gmail.com









MAIS INFORMAÇÕES