sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Seria " A formula da água" a formula do amor?






Vendo o filme “A formula da Água” do mexicano Guilhermo Del Toro me deparo com generosos minutos de Carmem Miranda, nossa portuguesa abrasileirada, na telona. Quem é de comunicação sabe que cada segundo é muito prestigio, é uma menção honrosa a um artista. Fiquei lembrando alguns filmes internacionais que têm a música brasileira como pano de fundo.  Mas aqui, não quero fechar no mundinho auto centrado das homenagens aos patrícios, mas, ao contrário aplaudir a vastidão sem fronteiras do sentimento do amor exposto pelo roteirista e diretor.  

O filme em si dispensar mais comentários é uma ode ao amor maior, despreza o xenofobismo e eleva o poder do sentimento maior por qualquer humano, ou não humano. Dispensa códigos e fronteiras, dispensa até a fala, só o olhar e o som afinal a "princesa" é muda e o "príncipe"  um monstro. Lembrando um pouco a Bela e a Ferra para adultos. O mostro é horrendo para os nossos padrões estéticos, mas, é tão amoroso, no olhar e nas expressões que vai nos cativando. A bela e a ferra se amam simplesmente, da forma mais pura, mais líquida.  

“Quando, porém, vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá.” 
( Coríntios 13:10 )


O recheio é quase um Tarantino de tanta violência salpicada de humor bizarro. Mas, o que ficou para mim, foi quase uma mensagem divina. Somos todos “uno” e no nosso planetinha a maioria de nós só sobrevive com água e ar e ambos estão lá pontuando a sobrevivência do mostro e consequentemente a nossa própria existência. No filme, o mostro apesar de não sobreviver fora da água é capaz de se reerguer às balas, a violência humana, que o malfeitor o alveja, sendo então considerado um Deus. 




No catolicismo a água está relacionada ao batismo, o símbolo maior do nascimento do cristão. No Judaísmo, hinduísmo e Islamismo a água tem o objetivo de restaurar ou manter um estado de pureza, assim como, as mais diversas religiões. Para o Budismo "Deus está dentro de nós,  “ O Deus que habita em mim, habita em você (Namasthe) e se somos compostos de água, nós e aquele mostramos temos sim muito em comum, é um religare


Não sei se essa foi a intenção do roteirista e diretor Del Toro, mas, assim senti e, a arte tem o poder de tocar a cada um das mais sutis formas com as mais diversas interpretações. Portanto, para mim " A formula da Água" foi a " forma" que um autor macho latino 😋😋pode expressar um amor infinito e divino. 



Muitas chuvas, rios, cachoeiras de elogios . Um oceano de Oscar para ele. ...


Del Toro


E vamos de música porque hoje é dia de musica, hoje é sexta-feira




La Javanaise“, de Madeleine Peyroux,

Chica Chica Boom Chic“,  Carmen Miranda.