segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Roteiro do que comer em Lima

Campeonato Sulamericano de Va ´a em Lima
Peru

Para quem vai participar nesta próxima semana, de 15 a 18 de novembro do Campeonato Sulamericano de Va `a em Lima/ Peru, que é o nosso caso, andamos pesquisando com amigos que já foram ao país e/ou são aficionados em gastronomia,  dicas certeira do que provar sem cansar o corpo e nem brigar com o estômago e o bolso, afinal, o foco principal é competir.

Nós estaremos lá  e assim que voltarmos , provavelmente, lá pelo dia 23 de novembro, vamo contar tudo o que vivemos. Aguarde aqui, ou na página do Facebook ou no Instagram. Listo? Abaixo o link do evento:
@Suramericanodevaalima2017





 O XVII Campeonato Suramericano de Va’a Lima Hoe 2017”, vai acontecer na playa los Yuyos em Barranco, então começaremos por ele.

Segundo o Jornal Estadão divide com o San Isidro a fama dos bairros com uma boa concentração de bares para a juventude.

Bairro Barranco 


Cala




Segundo o world best bars é um beira mar, com janelas e paredes de vidro, perfeito para um drink.




Tel. 4772020 | Cel. 99 8247326 | reservas@calarestaurante.com | Circuito de Playas, Barranco. Lima, Perú.


Aberto todos os dias de 12:00 às 00:00, quinta/sexta e sábados vai até 02:30. 


http://calarestaurante.com/

https://www.worldsbestbars.com/bar/lima/city-center/cala


La 73 Paradero Gourmet




É um local sem muito movimento, mas, que se come muito bem sem pagar muito.  Seria uma versão do nosso botequim de comida honesta.




Av. El Sol 175 51 1 2470780


CAFÉ BISETTI


Foto Divulgação

Onde os grãos são torrados e moídos num laboratório envidraçado com vista para o salão.






Pedro de Osma 116, Barranco 15063, Peru
Abre de segunda a sexta das 8:00 às 21:00
sábados e domingos das 9:00 às 22:00
http://cafebisetti.com/

Museu Mate 


Neste bairro fica também  a Fundação Museu Mate do fotógrafo Mario Testino, o descobridor de top models como a nossa Bundchen.

Foto Divulgação
Foto Divulgação


Av. Pedro de Osma 409, Barranco 15063, Peru

Miraflores


Este bairro é onde se aglomeram os mais premiados restaurantes da América Latina, isso mesmo. É aqui que estão por exemplo o nipônico Maido, e o peruano Central, respectivamente o primeiro e segundo lugar no ranking do Latin America`s 50 Bests Restaurantes.



Maido 


Foto Divulgação

O número 1 dos melhores da América Latina 2017 e oitavo no ranking mundial, foi  número 2 em 2017, trocando o ranking com o vizinho Central (número 1 de 2016 e número 2 em 2017). Fusão de cozinha japonesa (aliás a colônia lá é grande) com peruana.

Segundo o Jornal Estadão  tem a opção menu-degustação, a Experiência Nikkei, consiste em 13 pratos e custa uma média de 415 sóis (R$ 415)  ou a opção com harmonização que sai por 635 sóis (o mesmo valor em reais).

Foto Divulgação


Calle San Martín 399, esquina com Calle Colón.
51 1 446-2512/ 447-7554
Almoço das 12:30 às 16:00 (domingo vai até ás 17:00)
Jantar das 7:00 às 23:00
http://www.maido.pe/


Central


Foto Divulgação

Como já citamos acima,  Central dos chefes Virgilio Martinez e Pía León, trocou de posição no ranking dos 50 melhores com o vizinho Maido.

Foto ( Tiago Queiroz/ Estadão)


Os ingredientes nativos são colhidos pela iniciativa Mater- profissionais de diversas áreas garimpão produtos genuinamente Peruano e quase sempre orgânico, estando dentro do conceito sustentável de promover o pequeno comércio local. Você pode optar pelo meu Alturas Mater com 17 pratos por 510 sóis (ou reais nossa moeda atualmente tem o valor equiparado).

Mas, pelo que testamos no site da casa, conseguir uma reserva é bem complicado, pelo menos para as datas que estaremos em Lima, quem sabe se você se programar com muita antecedência e  consegue?  

Calle Santa Isabel, Miraflores, 15074
511 2428515

http://centralrestaurante.com.pe/


La Mar

La Mar Lima (foto divulgação) . 
Foto Divulgação 


Dez entre dez dicas indicam o La Mar, mas, está no patamar dos acima citados, uma experiência incrível que vale a pena, não é baratinho mas também não é o olho da cara. 

Mas, se você não conseguir ir por algum motivo há a opção paulistana que fica no Itaim Bibi ou também em Miami, ok? 😎

Av. La Mar 770.
51 14213365
lamar@lamarcebicheria.compe.
Abre de segunda  a quinta das 12:00 às 17:00.
http://www.lamarcebicheria.com/es/Lima

El Mercado

Foto by: https://www.chowhound.com


O lugar não é barato, mas oferece bom custo-benefício, bratos deliciosos e fartos. Segundo o Guia Melhores Destinos,  vale experimentar o ceviche mercado (S/. 45), mas há ainda opções como sanduíches (S/. 16); arroz verde com mero (S/. 47); tacu tacu limeño (S/. 49); pulpo a la parrilla (S/. 45). 






Av Hipólito Unanue 203
 +51 1 2211322

Saqra


Foto Divulgação 

è para a turma adepta do bom e barato. Num ambiente descolado tem um cardápio variado e é frequentado pela turma artística de Lima. Há desde carpaccio de pato, cerca de 28 sóis (preço equivalente em real), tabule de quinoa, por cerca de 26 sóis ...

Foto Divulgação


 Av. la Paz 646, Miraflores Lima 18, 
51 16508884
reserva pelo: restorando.com.pe
Funciona de segunda à Sabado, de 12:00 às 23:00 (ate quinta) e sexta e sábado vai até meia noite. 


Reservas: restorando.com.pe

Tanta 

Foto Divulgação

Tal qual o nosso agora franco-brasileiro Claude Troisgros que oferece as opções mais em conta (CT Boulangerie e TT Burger, com o filho), o mega badalado Astíd y Gastón também oferta um baixo custo para uma alta culinária coma versão Tanta.

Foto Divulgação


Totalmente arejado, com um vistão para o mar de Miraflores, o Tanta mantém a qualidade da grife com um cardápio variado e farto e um local bem mais informal.

Calle 28 de Julio 888, Miraflores

Preço médio: 30 sóis (mais ou menos o mesmo em reais).

Bairro San Isidro 


Astríd Y Gastón

Foto Divulgação

Agora sim apresentamos o pai do Tantra, outro medalhado da cidade. Foi ele o chefe Gastón que colocou a evidência e fama na culinária peruana. Em 2013 ficou em primeiro lugar.

O salão do restaurante em Lima, há também no México, Chile ...Foto Divulgação


O menu degustação da casa apresenta 15 etapas e custa em torno de 419 sóis/ reais.

Av. Paz Soldán 290.
51 1 4422777
restaurante@ astridygaston.com
Almoço todos os dias - 13:00 às 15:00
Jantar todos os dias das 19:00 às 23:00
Domingo das 12:30 às 15:30.
http://www.astridygaston.com/



Agora as dicas de quem entende e muito tanto de Lima quanto de gastronomia, o parceiro e polivalente Marcelo Igrejas, mergulhador profissional, surfista, chefe de cozinha e dono do famoso bistrô Maria da Toca, em Niterói. Igrejas é um local de Lima onde morou por bom tempo pesquisando a culinária peruana e nas horas vagas surfando em Punta Hermosa.
















Para Marcelo não há erro na questão gastronomia na capital peruana. Tudo é muito bom. Ele conta que sua pesquisa foi na cozinha de "raiz", culinária do dia a dia deles. Marcelo recomenda sem erro os mercados centrais, que têm em quase todos os bairros.

Dos sofisticados ele recomenda o La Mar (que já citamos acima) e diz que os mega estrelados sem dúvida são uma ótima opção, mas, para quem está disponível a gastar por baixo uns R$ 700,00 por pessoa. Ele conta que em Miraflores há muito para pegar gringo, tem que ficar atento para não cair no esquema "gringolândia".

Para o quesito bom e barato ele recomenda o

La Lutcha Sangucheria

Foto Divulgação


Fica em frente ao Parque Central de Miraflores. O esquema é sanduíches e batatinhas rápidos e gostosos.

Foto Divulgação


Av. Santa Cruz 847, Parque Central de Miraflores. 

https://www.lalucha.com.pe/

Para o expert em Lima o legal lá é conhecer a culinária do bairro chino e seus restaurantes " chifas" (chineses na gíria local). Mas o imperdível é  para o nosso chefe o Chez Wong, do famoso Chef Javier Wong, misto de chino-peruano. O ceviche é considerado " melhor do mundo", segundo Igrejas e boa parte da crítica gastronômica, como o site " superchefe" e o jornal britânico The Guardian.

Foto Divulgação


Chez Wong

 Uma casa simples que fica no distrito de La Victoria. Segundo o Estadão "Se tiver de escolher apenas um restaurante para visitar em Lima, vá ao Chez Wong". Talvez você tenha dificuldade de encontrá-lo, fica num bairro afastado e não tem placa na porta. Mas faça um esforço: não há ceviche igual ao de Javier Wong."
O lugar só abre no almoço e com reserva. O cozinheiro só aparece quando todos os clientes (de 25 a 30) já estão acomodados. O cozinheiro de 65 anos é uma figura intrigante. Mistura mau humor e delicadeza, respostas curtas e frases profundas. .
Chez Wong. Enrique León García, 114, Santa Catalina, La Victoria, tel. (51) 1 470-6217


DICAS EXTRAS (Estadão)

SURQUILLO

O Mercado de Surquillo vale a visita pela oferta de frutas e legumes regionais. Há peixes e frutos do mar – e até um minúsculo balcão de ceviches com dois lugares improvisado na peixaria. Em volta do mercado, há lojinhas de utensílios de cozinha.

MUSEU LARCO

O acervo de 45 mil objetos do Museu Larco, que conta 3 mil anos de história do Peru pré-colombiano, é visita obrigatória. 


MERCADO INCA


O Mercado Inca, de artesanato, é divertido e imperdível. 



INFORME


Lista do prêmio Latin Americas `s 50 Best Restaurantes.

Latin Americas's 50 Best Restaurants

Maria da Toca (de Marcelo Igrejas fica em Niterói/RJ)


Foto divulgação



















sábado, 4 de novembro de 2017

Egito e Pompeia

Circulando pelo centro da cidade do Rio de Janeiro resolvi ver a exposição Egito e Pompeia, acervo pessoal de Dom Pedro II, cuja coleção ele dedicou à sua mulher D. Thereza Christina Maria.



O reconhecimento internacional do valor cultural desta coleção foi obtido através de sua inscrição no Registro Internacional da Memória do Mundo da UNESCO, em 2003. Assim, esta coleção tornou-se o primeiro conjunto documental brasileiro a integrar este programa da UNESCO.
A mostra da Biblioteca Nacional, com 119 imagens, que tem curadoria de Joaquim Marçal, levará ao público originais fotográficos que ficaram guardados, sem qualquer manuseio ou exposição à luz, por aproximadamente um século.
(Fonte Biblioteca Nacional).

Para quem gosta de fotografia é uma aula de como essa arte foi desenvolvida. Para quem gosta de história também. para quem gosta de refletir sobre polêmicas, mais ainda. Há uma série de fotos de falos  expostas nas fotos que registram como simbolos de sorte, e que datam que nos idos tempos egípcios eram expressas nas paredes de prostibulos. Até você Dom Pedro II pode ser posto à prova diante das atuais polêmicas sobre arte e deformação. 

Para quem quiser ver a exposição, segue o link:

terça-feira, 31 de outubro de 2017

#Sostheatromunicipal


Hoje ao passar em frente ao suntuoso e histórico Theatro Municipal do Rio de Janeiro me vi em frente ao corpo de baile, coral e orquestra pensei em se tratar de mais um lindo e contagiante flash mobs - aglomerações instantâneas de pessoas em certo lugar para realizar determinada ação inusitada previamente combinada, estas se dispersando tão rapidamente quanto se reuniram.

Mas não, não estamos na Europa onde países civilizados respeitam a cultura e a promovem para a  população. Aqui no caso, sem deixar nada a dever aos estrangeiros na qualidade dos componentes, era mais um protesto, neste caso dos artistas pratas da casa, por não estarem recebendo os seus salários! não estavam pedindo nenhum favor, só o seu direito de receber os seus salários!!  E como o diretor do teatro recordou "é o maior do país e um dos poucos que abriga na casa as várias artes que se complementam: Ballet, Orquestra Sinfônica e Coral". Tudo no mais alto nível, que exige do seu corpo artístico, anos de dedicação, privação e estudo. 


E como foi lembrado hoje na obra exposta de Villa Lobos, que este maior artista clássico do país, só existiu porque veio de uma época em que lhe deu a chance de se desenvolver. E agora? Ai quem dera se esse evento de hoje fosse apenas uma promoção cultural incentivada pelos governos, com flash mobs espalhados pela cidade, na atual estrutura do centro da cidade que vem relembrando o Rio antigo, com bonde passeando pela Rio Branco e você se deparando com grupos artísticos se exibindo, que sonho, que poderia tão facilmente ser uma realidade. 

Por que? devido a irresponsabilidade do Governo Cabral que usou da  politicagem   irresponsável de maquiar a causa pública atraves de obras superfaturadas nos vários equipamentos culturais, aqui vale ressaltar os esportivos também, negligenciando o conteúdo que justifica cada um deles. O caso ocorreu também nas Bibliotecas Parque e do Parque Lage. Enquanto os menos favorecidos não tiverem voz, bicho não se revoltar e "cimento não falar" continuaremos a mercê de obras, e mais obras para justificar o injustificável. 

A arte é educação, educação é a formação de uma nação, é a arte que nos abre o leque de percepção e nos permite ampliar a nossa capacidade de discernimento e sensibilidade nos dando qualificação e expertise, influindo em cada um de nós, seja em qualquer  profissão. 

Vale ressaltar que a própria arte, ou indústria do entretenimento, a segunda maior em rentabilidade dos Estados Unidos, perdendo apenas para a bélica, é geradora de empregos numa enorme cadeia de produção. E é neste seguimento que está a possibilidade de geração imediata de renda do Estado do Rio de Janeiro. Este é o nosso potencial natural. 

Portanto a arte/ educação não é passa tempo de madame é a construção de cientistas, de pensadores, de criadores, de todas as áreas, que criam a potencialidade de uma nação. Negligenciar a educação (arte e cultura) de uma nação, é deixa-la como boiada, manipulada, bitolada e portanto sem chance de desenvolvimento. 

Artigo 3 – A diversidade cultural, fator de desenvolvimento.

 A diversidade cultural amplia as possibilidades de escolha que se oferecem a todos; é uma das fontes do desenvolvimento, entendido não somente em termos de crescimento econômico, mas também como meio de acesso a uma existência intelectual, afetiva, moral e espiritual satisfatória. 



O protesto de hoje, dia 31 de outubro de 2017

Você pode ajudar: Faça a sua doação com depósito na conta 

SINTAC/RJ: Banco Itaú. Ag: 6157. CC: 02728-2
Vamos lá iniciativa civil e empresarial fechar uma parceria público privada, vamos reerguer o nosso Theatro Municipal. 

















terça-feira, 24 de outubro de 2017

Sopro do México








O Maná uma banda mexicana é tão legal que foi ela que puxou a pauta hoje. A nossa apreciação por " nosotros " é o que estimula essa caminhada. Então hoje vamos dar uma receita mexicana.

Mojito 

esse conhecemos em casa preparado pro um amigo cubano. 

Mas vai lá anota aí. 
  • Limão
  • 1 colher (sopa) de açúcar refinado
  • Hortelã
  • Rum escuro
  • Gelo
  1. Corte meio limão em pedaços pequenos e coloque em um copo alto. Amasse como um pequeno pilão, se faz com caipirinha. Acrescente uma colher de açúcar. Adicione hortelã a gosto retirando o talo. Não deixe de amassar as folhas. Coloque duas medidas de rum escuro (aproximadamente 50ml). Mexa com uma colher os ingredientes, para dissolver o açúcar. Pegue gelo triturado ou quebre o gelo em pedaços menores e coloque no copo. Finalize com um talo de hortelã para enfeite e sirva.




MÉXICO, de mar a mar te viví, traspasado
por tu férreo color, trepando montes
sobre los que aparecen monasterios
llenos de espinas,
el ruido venenoso
de la ciudad, los dientes solapados
del pululante poetiso, y sobre
las hojas de los muertos y las gradas
que construyó el silencio irreductible,
como muñones de un amor leproso,
el esplendor mojado de las ruinas.

Pero del acre campamento, huraño
sudor, lanzas de granos amarillos,
sube la agricultura colectiva
repartiendo los panes de la patria.

Otras veces calcáreas cordilleras
interrumpieron mi camino,
formas
de los ametrallados ventisqueros
que despedazan la corteza oscura
de la piel mexicana, y los caballos
que cruzan como el beso de la pólvora
bajo las patriarcales arboledas.

Aquellos que borraron bravamente
la frontera del predio y entregaron
la tierra conquistada por la sangre
entre los olvidados herederos,
también aquellos dedos dolorosos
anudados al sur de las raíces
la minuciosa máscara tejieron,
poblaron de floral juguetería
y de fuego textil el territorio.

No supe qué amé más, si la excavada
antigüedad de rostros que guardaron
la intensidad de piedras implacables,
o la rosa creciente, construida
por una mano ayer ensangrentada.

Y así de tierra a tierra fui tocando
el barro americano, mi estatura,
y subió por mis venas el olvido
recostado en el tiempo, hasta que un día
estremeció mi boca su lenguaje.
(Pablo Neruda)






Vamos fechar com outro ótima artista mexicana Julieta Venegas